quarta-feira, 13 de julho de 2011

Atletas de Governador competem entre as cem melhores do Brasil representando o RN

Hideraldo_Elisama_Lanice_Amanda_JCarlos_Fotos MarceloBento (3)Hideraldo_Santos_com_Elisama_e_Amanda_Fotos MarceloBento (20)

Foto 1 - Hideraldo Santos, Elisama, Lanice Ferreira, Amanda, José Carlos (Sec. Interino de Juventude, Cultura e Desporto)

Foto 2 - Hideraldo Santos com Elisama e Amanda

Fotos - Marcelo Bento

O apoio dado pela Prefeitura Municipal de Governador Dix-sept Rosado através da Secretaria Municipal de Juventude, Cultura e Desporto às atletas Elisama Barros e Amanda Emanuelle fez a diferença.

As atletas estão entre as cem melhores da categoria que nesta semana mostram suas habilidades em quadra dentro do Campeonato Brasileiro Correios de Seleções, categoria sub-17, que está sendo realizado em Manaus - Amazonas, no período de 13 a 17 de julho. O desempenho delas foi atestado pelo atual técnico da seleção potiguar em alguns torneios e competições que participaram pelo Centro Esportivo Santos (CES) de Mossoró.

A Prefeita Lanice Ferreira fez questão de se despedir das atletas e de desejar sucesso já que a seleção de Futsal do Rio Grande do Norte é a única do Nordeste na competição, o que atesta o potencial do esporte no Estado.

“Para nós é uma grande alegria saber que duas atletas de Governador estão na seleta lista desse campeonato brasileiro. Desde o início temos dado todo o apoio para que elas pudessem ter a oportunidade de jogar e agora torcemos para que consigam seguir no esporte profissional”, ressaltou Lanice Ferreira.

O técnico da seleção potiguar, Hideraldo Santos explica que o potencial das atletas é reconhecido nas competições e que o campeonato é também uma grande vitrine para outros grandes times de Futsal na categoria delas, no Brasil.

“Digo que elas já podem se considerar vencedoras pois independente de resultado elas já estão entre as cem do país e podem jogar em pé de igualdade com qualquer uma das atletas dessa competição. O campeonato é também um momento importante em que muitos times estão de olho em novos talentos como é o caso delas”, afirma Hideraldo que tem por objetivo terminar o evento entre os quatro primeiros colocados.
"Se isso acontecer, considerando as circunstâncias, estará de bom tamanho", admitiu o treinador.

Competição – No Campeonato Brasileiro de Futsal Sub-17 a seleção do Rio Grande do Norte está na chave B, ao lado das anfitriãs, Amazonas, Goiás e Paraná, e se classificam dois times por grupo à fase eliminatória. Por liderarem o ranking de seleções do futebol sub-17, São Paulo, Santa Catarina e Paraná são consideradas favoritas mas a chave A é completada ainda com as seleções de Brasília e Pará.

Outras Informações:

Izaíra Thalita - Jornalista - (DRT-RN 001144)

Tel. (084) 8848 0104/ 3328 – 3905 e-mail: izathalita@gmail.com

Nota do Blog: Não podemos deixar de parabenizar e reconhecer o potencial dessas duas meninas, e ao mesmo tempo, ressaltar a importância do empenho de André de Caritó e do Centro de Assessoria às Comunidades Rurais e Urbanas - CEACRU, que desenvolveram um trabalho brilhante com as “Meninas do Futsal”.

2 comentários:

  1. Francisco José14/07/2011 10:48

    Quem era pra sair na foto, não saiu. Que é o amigo André de Caritó, que com pouco apoio, desenvolveu, ou desenvolve ainda, um brilhante projeto com as meninas que jogam esse esporte em Governador. Mas fica aqui o registro parabéns as meninas que realmente tem potencial e a André de Caritó, pela sua luta em prol do esporte feminino na nossa cidade.

    ResponderExcluir
  2. "Comenta sobre essa matéria cadê os nossos representantes que subiram nos palanques pedindo para eleger essas pessoas que não respeitam a educação e tratam professor feito lixo cadê o posicionamento deles em relação a isso? Era mesmo essa a melhor representação pro nosso estado? "Estado
    Bonitinho, mas, ordinário

    É bonitinho, mas ordinário o discurso do Governo do Estado de que está preocupado com os estudantes por ocasião da greve dos professores da rede estadual de ensino. Tão cínico e artificialmente fabricado que não convence nem os mais ingênuos.
    Não há preocupação com a qualidade de ensino e com educação no Estado. E não é de agora. É histórico. O fato é perceptível, por exemplo, quando se observa que a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) não tem autonomia financeira e depende da boa vontade do governo e de parlamentares para investir o próprio orçamento
    Isso sem falar nos professores universitários de UERN que ganham um dos salários mais baixos do país . No caso do ensino médio estadual, a distorção é ainda mais dramática: escolas com estrutura precária, salários insignificantes para os professores e uma secretaria estadual de educação dependente da politicagem de liberação de verbas do governo para se mexer.
    Em sete meses, o governo Rosalba não moveu uma palha para resolver o problema da educação no RN. Investiu 55% do mais de 60 milhões que recebeu do Fundeb na área, quando a lei exige que o mínimo de 60% seja aplicado e – em tempos de Lei de Responsabilidade Fiscal – gastou mais com diárias do que com educação básica.
    Não bastasse, por pura falta de tato e de espírito republicano, teve que começar a colher desgaste em meio à população para iniciar as negociações com os professores, em greve há mais de dois meses. Uma briga de gato e rato que pode ser decidida nas instâncias superiores da justiça.
    O governo precisa definir prioridades e aplicar o dinheiro no Estado nelas. Se a prioridade é educação, por que esperou dois meses para pagar o piso de R$ 890 para professores que recebiam pouco mais de R$ 600, como manda a lei? Por que não investiu corretamente os recursos do Fundeb, como manda a lei?
    Agora, dedo em riste, acusa os professores de serem antidemocráticos por descumprir a determinação do Tribunal de Justiça para o fim do movimento grevista. A grande incoerência fica na moral do governo que, descumpre as leis que interessam e exige o cumprimento daquelas que lhe interessam. E, para isso, usam o argumento de cunho apelativo como a de que está preocupado com os estudantes.
    Conceder um reajuste que, ao menos, diminua o abismo salarial entre um professor da rede estadual e um servidor da administração direta e indireta do estado é obrigação moral do governo. É absurdo constatar que um professor de nível superior tenha um salário base de R$ 930 enquanto um servidor – burocrata, mero assinador de papéis – tenha vencimento básico de R$ 2 mil.

    Se o governo quer tirar o Rio Grande do Norte da lanterna do ensino público do país, é bom tratar de eliminar essa intransigência na negociação com os professores, alocar mais recursos para a educação para, assim, transformar a leviandade do discurso de que está preocupado com a educação em realidade.

    Fonte: Haggai Notícias

    ResponderExcluir